rcoutog

Está contratando? 6 perguntas que você deve fazer nas entrevistas

In Estratégias de pessoas on Novembro 8, 2010 at 7:28 pm

Por Jeff Wuorio

Quando se trata de entrevistar possíveis funcionários, você deve fazer perguntas capciosas. Isso porque contratar as pessoas certas é essencial para o crescimento e sucesso da sua empresa. Por isso, você deve usar a entrevista de maneira inteligente para identificar habilidades profissionais, focar pontos fortes e fracos e ter uma idéia do que a pessoa pensa sobre trabalho em equipe e cooperação. Mas isso não significa que você tem que cair na velha pergunta “você trabalha bem em equipe?”. Você pode entrevistar como um especialista e conseguir de forma “disfarçada” as informações que são fundamentais para tomar sua decisão.

Analise as seis perguntas a seguir, todas elas revelam mais do entrevistado do que você imagina… Ou mais do que ele quer que você saiba:

1. “Se você permanecesse em seu emprego atual, qual seria seu próximo passo?” Um bom início, que revela informações em diversos níveis. Você não apenas tem uma ideia do que o candidato espera – e, em troca, se está de acordo com o cargo que você tem para oferecer –, mas você também pode descobrir o motivo “secreto” pelo qual o candidato quer trocar de emprego. Por exemplo, se o candidato disser que queria ser gerente, mas o funcionário acima dele está no cargo há 25 anos, você pode prosseguir com a entrevista. Porém, se ele disser que espera ser promovido em seis meses, por que trocaria de emprego? Você pode então saber o motivo real de ele querer sair da empresa.

2. “O que o destaca dos outros?” Outra pergunta provocativa porque muitas pessoas ficam um pouco desconfortáveis ao elogiar a si mesmas. Uma resposta equilibrada pode indicar alguém com bastante autoestima e alguma coragem. Ao contrário, uma autodescrição morna pode sugerir falta de iniciativa, algo que pode ser prejudicial se você estiver querendo preencher uma vaga na equipe de vendas. Da mesma maneira, um candidato que faz um discurso de meia hora explicando por que a Terra gira ao redor dele pode ter um ego muito elevado, um ego que pode arrasar uma empresa construída com trabalho em equipe.

3. “Conte para mim suas maiores conquistas.” Um ótimo complemento para a segunda pergunta. Um candidato que consegue lembrar um projeto especialmente satisfatório (e falar sobre isso de maneira equilibrada e compreensível) é um funcionário que tem talento natural para cuidar de detalhes. Porém, essa pergunta também pode indicar quais candidatos conseguem ter segurança em momentos de pressão… Mais uma vez, muitas pessoas não se sentem bem falando de si mesmas. Se a pessoa ainda consegue contar uma piada ou anedota ao dar a resposta, ela é mentalmente ágil quando precisa. Mesmo uma recepcionista que conta que, ao usar post-its, economizou pilhas de papel de fax tem uma boa ideia do que ela fez para se destacar dos outros. Pense nisso.

4. “Dê um exemplo de um momento em que você parou para compartilhar as conquistas de um colega com outras pessoas.” Na superfície, você pode estar tentando medir se o candidato é egoísta ou não, qual a disponibilidade dele de colocar outras pessoas à frente de si mesmo. Sim, é verdade, mas a resposta também pode indicar se esse possível funcionário é um bom motivador. Qualquer pessoa que se dispõe a elogiar um funcionário pode também estar tentando incentivar outros colegas. É uma habilidade especialmente útil em cargos de vendas e marketing. De acordo com Del J. Still, presidente de uma empresa que oferece treinamentos para entrevistas e contratações: “essas perguntas oferecem uma análise multidimensional, assim, você recebe diferentes informações em apenas uma pergunta. Nesse caso, você tem uma ideia das atitudes da pessoa em uma determinada situação”.

5. “Quantas horas por semana você precisa trabalhar para dar conta do seu trabalho?” Essa pergunta serve de termômetro da ética do candidato e do tempo que ele espera dedicar à sua empresa. Perguntas complementares podem identificar se uma pessoa que fica trabalhando até mais tarde está dedicando um tempo extra ou simplesmente trabalha de maneira ineficiente. Uma conversa sobre o horário de trabalho pode indicar se o entrevistado vai se adequar aos outros funcionários.

6. “Você tem pressa para tomar decisões?” Acredite ou não, essa última pergunta você deve fazer para você mesmo bem antes de terminar a entrevista. Embora possa revelar um líder capaz de tomar decisões sensatas com rapidez, ela na verdade se refere à entrevista que você está fazendo. Acredite ou não, Still afirma que cerca de 95% dos entrevistadores toma a decisão de contratar ou não nos primeiros cinco a nove minutos de uma entrevista. No tempo restante, eles procuram informações para justificar sua decisão. Não cometa o mesmo erro: “faça muitas anotações durante a entrevista e avalie o entrevistado posteriormente”, Still aconselha. “Nunca contrate logo. Segure sua decisão até que tenha analisado informações suficientes para tomar uma decisão racional. Se não fizer isso, pode acabar preenchendo a vaga com alguém que não dará conta do trabalho.”

Jeff  Wuorio é especialista norte americano em gerenciamento, marketing e tecnologia para pequenas empresas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: